Switch


Switch
Uma vez que tanto um switch quanto um hub são equipamentos muito parecidos visualmente, e que aparentemente servem para a mesma função (interconectar vários micros em uma rede, através de cabos de rede RJ-45, popularmente conhecidos como “o fio azul”), uma dúvida muito comum seria qual a diferença básica entre eles. Hubs são dispositivos sem inteligência, que ao receber um pacote de informação de um servidor (por exemplo), distribuem-no para todos os micros da rede, até que, “por sorte”, a estação que realmente pediu a informação acabe recebendo-a (a isso denominamos “broadcast”). Switches, por sua vez, mantém internamente uma tabela de endereços de rede que lhes diz exatamente onde se encontra cada estação na rede. Com estes endereços (MAC Addresses), eles conseguem levar a informação exatamente de um ponto a outro, sendo assim mais eficientes e gerando menos tráfego desnecessário na rede. Com a atual diferença de preços entre hubs e switches, não faz mais sentido adquirir hubs. Switches podem ainda ser divididos em velocidade (10/100, Gigabit), Cabeamento (RJ-45 ou Fibra, basicamente), Capacidade (geralmente mensurada pelo tamanho do seu Backplane) e Inteligência (Empilháveis, Gerenciáveis, etc) e Extras (VLAN, Port Trunking, etc)

Switch : Empilhável
Um switch é considerado empilhável quando ele possui tecnologia específica para conectar 2 ou mais switches em uma única pilha, que ao fim do empilhamento, funcionará tecnicamente como um único switch (Ou seja, se você empilhar 2 switches de 24 portas, eles irão funcionar como um único switch de 48 portas). O empilhamento é a única maneira de realmente aproveitar a capacidade de endereçamento direto que é própria de cada switch (veja o tópico sobre switches). Um erro muito comum é conectar um switch no outro através de uma porta qualquer do mesmo, usando cabo par trançado. Desta maneira, você está adicionando saltos (hops) em sua estrutura de rede. A isso se dá o nome de cascateamento, e não de empilhamento. Exemplo: Suponha que você possui 1 servidor de rede. Neste servidor está ligado um switch não empilhável. Numa das portas deste switch, encontra-se cascateado outro switch, que finalmente, está conectado a uma estação de rede. Para que a informação vinda do servidor chegue a estação, serão necessário dois saltos. Se os 2 switches fossem empilháveis, eles estariam funcionando como um único switch. Logo, a informação proveniente do servidor iria ser enviada diretamente a porta específica da estação destino. O empilhamento dos switches antigos exigia módulos de expansão ou cabos específicos e caros. Atualmente, já existem switches que permitem fazer empilhamento real, via par-trançado, reservando portas específicas para isso (novamente, não confunda com portas MDI para cascateamento)

Switch : Fibra
Mostra os switches Fibra existentes no site, separados por fabricantes. Switches de fibra já possuem conectores de fibra ótica embutidos em uma ou mais de suas portas, propiciando assim uma maneira direta de conectar um backbone de fibra à sua rede. Proporcionam um melhor rendimento, performance e segurança do que se usássemos transceivers (Conversores) de mídia, pois estes provocam perda.

Switch : Gerenciável
Switches gerenciáveis, por definição, são aqueles que incluem software de gerenciamento (gravado em seu firmware, ou adicionado à parte, por software) que permitem que sua funções sejam configuradas através de um micro, bem como seus status sejam monitorados por software. Existem basicamente dois níveis de gerenciamento: Via http (neste caso, o switch inclui apenas uma interface web em seu firmware, que pode ser acessada via qualquer micro, por um browser, digitando-se http://ip-do-switch, por exemplo), ou gerenciamento verdadeiro, via SNMP/RMON ou protocolo nativo. O importante a saber é que a maioria dos switches gerenciáveis não precisa ser configurado para ser usado de imediato. O gerenciamento é um adicional que lhe permitirá configurar funções avançadas do switch, tais como VLAN’s, Port Trunking, etc. e a parte de monitoração lhe permitirá, de seu micro, checar o status de cada porta do switch, remotamente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.